2004-12-31

 

LEITURAS DE FINAL DO ANO

Dois textos que me impressionaram a merecer leitura.

O primeiro no blogue “Os cães ladram mas a caravana passa” fala-nos da acefalia de uma certa sociedade. Uma menina preparando-se para umas férias na Tailândia, ouvida pela SIC disse estar triste com tudo o que aconteceu pois "agora já não vou ter todas as condições de férias que iria ter, se por acaso não tivesse acontecido nada disto. Por outro lado, estou contente, porque vejo as coisas mais ao natural, como elas são."
Esta menina com certeza não vive com dificuldades, tem o desafogo financeiro suficiente para se poder dar ao luxo de umas férias no outro lado do mundo. Faz parte do universo do “parecer”, desde que o exterior surja devidamente envernizado com sinais exteriores suficientes para impressionar o seu semelhante tudo estará bem. Esta gente não olha a vida numa perspectiva de construir, de “ser” útil. Tudo se passa no reino da fantasia, do fútil, do efémero. A exigência dos seus demenciais direitos, a ignorância dos seus deveres.
A vida centrada na procura de um momento de destaque no “parecer”.
Pouco lhes interessa o sofrimento dos outros. Pouco lhe interessa o saber, o conhecimento. Tudo isso consome muito tempo, muitas energias, muito trabalho.
É o reflexo de uma certa sociedade doente, filha do espectáculo, acéfala, preguiçosa, exigindo sem dar.

Outro texto a merecer leitura atenta, encontra-se no blogue “A Revolta das palavras”. As palavras de António Barreiros são cortantes, mas reais. O retrato dos nossos dias que teimamos não ver.

Reflexões no final de um ano particularmente estranho.
Desejo a todos boas entradas e um feliz 2005.
Até para o ano!

Comentários:
Como estarão a correr as férias dessa idiota?
Estará a divertir-se?
Estará a ver as coisas ao natural?
Era bom que ficasse por lá, pois temos lixo humano quanto baste por cá!
 
Essa menina não tem culpa, quem tem culpa são os pais que lhe incutiram a futilidade, como forma de vida.
Por outro lado mostra um pouco a maneira egocêntrica como a nossa sociedade, infelizmente começa a viver.
Obrigado por visitares o meu blog, e também te desejo um muito Bom Ano de 2005.
 
Só para deixar um abraço de bom 2005.
Luis Tito e Carlos Castro
 
Para não fugir à normalidade, o ano de 2004, termina da pior maneira.
A Quinta das Anormalidades foi ganha por uma aberração da natureza.
A natureza ás vezes prega-nos cada partida. E os portugueses também, quem vota numa merda destas é capaz de votar em tudo e o 20 de Fevereiro aproxima-se, mas tenha-mos fé!

Amigo, que o melhor de 2004 seja o pior de 2005!
 
mais do que tudo salta à vista uma insenbilidade e um desprezo doentios de mentes algo vegetarianas...um outro estrangeiro e mulher ( ingleses ) tambem por lá ficaram, não para ajudar , mas para ver a desgraça e já agora para "gastar" os dias de férias...anormalecos há por todo o lado...
 
Enviar um comentário

<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?