2005-01-30

 

SÓRDIDA CAMPANHA!

Começam a ser muitos os sinais de que estamos a entrar na campanha eleitoral mais obscura que Portugal já conheceu. Não se discutem, nem discutirão, propostas políticas, projectos ou ideias. Discutir-se-ão personalidades.
Nesta “arte” de Vaudeville, Santana Lopes há muito provou que não conhece os limites do burlesco e que não entende qualquer organização colectiva para além da sua excelsa pessoa.
O país acompanha, com desusada pormenorização, (pela voz do próprio) a evolução dos seus achaques: anginas, uma hérnia arreliadora, uma gripe do tempo (talvez para o pôr em linha com os muitos que desesperam nas urgências dos hospitais com mesma enfermidade – um homem como os outros), padecimentos vários, que contraria com a sua energia e conhecido “alto astral” contra todos os ventos e marés.
O excitante anúncio da publicação do livrinho com a colecção das suas crónicas insertas no jornal “A Bola” que se presume venha a ser um sucesso de vendas tal a vontade que os portugueses terão de recuperar essas leituras.
O cartaz com a sua fotografia e a enigmática expressão (em jeito de auto-critica): “este homem sabe o que é”.
Tudo isto faria parte do bric-a-brac de incomensurável ridículo que Santana Lopes domina e que personifica. Tudo isto seria mais um sinal do óbvio plebiscito a si próprio que o “Pedro” teima transformar esta campanha.
Tudo isto seria claro e seria mau.
Mas a vertigem da mediocridade ganha uma dimensão de tal ordem que encaminha todo o partido que Santana lidera para um lamaçal que lhe ficará agarrado à pele inexoravelmente.
Ontem, em Braga, o “Pedro” contribuiu para que se descesse a um patamar de total falta de decência. Rodeado de senhoras que aparentavam um delírio por estarem na presença desse mito vivo que conhecem como “tendo uma natureza sedutora” a mesma natureza que as senhoras do comício de Braga acharão uma delicia, afinal a prova que temos alguém “ainda do tempo em que os homens escolhiam as mulheres para suas companheiras” nas palavras de uma obscura “funcionária pública” que decerto se sentirá orgulhosa pela pérola que partilhou ontem com tantas outras companheiras de coração palpitante. No final o “Pedro” mostrou a sua raça, dizendo que “o outro candidato tem outros colos. Estes colos sabem bem”.
É nisto que apostam todos os que no próximo dia 20 lhe derem o seu voto!
Assistir a esta inaceitável, soez e deplorável utilização de insinuações torpes e rasteiras só pode revoltar todos aqueles que têm ainda a ingénua esperança de que Portugal não se torne uma insuportável e boçal “quinta das celebridades”.


P.S. José Pacheco Pereira partilhou as suas angústias relativamente à opção de voto nestas eleições. Não duvido da sua sinceridade nem tão-pouco de que serão partilhadas por muitos sociais-democratas sérios e dignos (que são quase todos). Como reagem a esta campanha? Como reagem à diluição do seu partido em detrimento desta triste personagem? Como reagem, sobretudo, às ameaças veladas de Santana Lopes ontem: “nunca ofendi nenhum adversário político, nunca respondi, nem respondo à calúnia, mas se querem entrar pelo conhecimento público desses lados da vida de cada um, só quero dizer que estou inteiramente à vontade"?

Comentários:
O Pedro é um problema do PSD. Foi o PSD, sobretudo todos os seus mais altos dirigentes , em que se inclui Pacheco Pereira, que permitiram a chegada do Pedro à presidência do PPD/PSD. Os rebates de consciência dos sociais-democratas são bem vindos, sobretudo se tiveram a intenção de não transformar o probelam PSD num problema de Portugal
 
Em Braga, ficou claro que está, perfeitamente, à vontade, como, aliás, está à vontade em tudo, porque de nada faz a mínima ideia.
Não passa de "uma mão cheia de nada e outra de coisa nenhuma". É um pateta alegre!
DespenteadaMental
 
A Central de intoxicação já está instalada há tempos:
(...)Desta feita porém, a maquinação parece vir a assumir proporções tenebrosas, pelo que deveremos interrogarmo-nos acerca de quais os verdadeiros e obscuros desígnios desta inquietante operação.
http://lapipe.blogspot.com/2005/01/indcios-preocupantes.html
 
O Pedro é a maior nulidade que passou pelo PSD e pelo Governo. Nunca o país desceu tão baixo!
 
Caro Luis
Com o debate político a chegar neste momento já a um tão baixo nível, todas as considerações que vinha fazendo neste seu espaço se revelam agora ingenuamente optimistas.
Estar preocupado começa a ser muito pouco para quem cultiva os valores da democracia!
 
Ele é tão fraquinho que até as crónicas futeboleiras de "A Bola" lhe servem.
 
Eu não comento, pois temo que o Santaninha me levante um processo em Tribunal... eu sou um dos que respondeu à sondagem.
 
Enviar um comentário

<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?