2005-04-02

 

ORÁCULOS

José Pacheco Pereira decidiu brindar os leitores da sua crónica na última edição da revista Sábado com esta pérola acerca do Governo: “É agora que se estão a fazer as asneiras, depois é que elas se manifestam”, rematando o assunto com um “daqui a uns anos falaremos”.
Se me dão licença, pego na deixa e dou-lhe continuidade que isto, já se sabe, a falta de assunto é como o sol: quando nasce é para todos.
Estava capaz de afirmar que as as asneiras que se farão a meio do mandato, ainda não ocorreram e depois me dirão se estava ou não, correcto.
Mais: entendo, e neste entender percebe-se bem que há muito mais sapiência que não partilharei por ora, e claro daqui a uns anos falaremos, dizia, pois que entendo que serão feitos muitos erros no final da legislatura cujos resultados, está bom de ver, não serão descortinados senão na próxima legislatura.
Aliás, um passarinho ter-me-á dito (e aqui a referência ornitológica permite uma imagem mais viva, percebendo-se que há uma intenção óbvia do escriba deixar clara uma intimidade com a passarada, própria de quem partilha convivios muito variados), pois a verdade é que o passaroco, num óbvio registo de fuga de informação, encostou o bico, disfarçou com a asa, e sussurrou-me ao ouvido “consta que este Governo terá o seu final daqui a 4 anos”, naturalmente que estaremos todos para ver se a ave estava ou não correcta.
Tenho de reconhecer que para inicio de conversa a coisa já vai longa, é certo e sabido que a partilha das nossa argutas análises deve ser feita em doses moderadas, e a verdade é que tanta percepção como a que aqui deixei assegura-me um lugar de comentador político na nossa imprensa - daqui a uns anos falaremos!

Comentários:
Estas gaivotas do saber "não de experiência" feito...Mas daqui a uns anos falaremos!
 
Primeiro cromo: - Ena pá, se tu soubesses um pouquinho da minha iluminada e ilustre sapiência... eu dar-te-ia um pouco da minha supina argúcia, mas fico calado... para que não vejas o meu brilhantismo e, deste modo, possas colocar-me no altar da perfeição. (segue-se o silêncio)

Segundo cromo: - Vocês sabem do que estou a falar. (novo silêncio)

Primeiro Cromo: - Daqui a uns anos falaremos.
(silêncio e cai o pano).

Segue-se o esquecimento.

:)
 
JPP é um preopinante com provas dadas.Trata-se de um atavismo que lhe vem do tempo do tempo da revolucionarite tipo "Magestic".
Já nessa altura alguém dizia: daqui a uns anos falaremos...
Abraço
 
Bem visto. Gostei do post
um Grande abraço de

 
o homem é, às vezes, um pouco abrupto... é normal que venham a acontecer asneiras, aliás, eles esperam que aconteçam para ocuparem a seguir o poleiro; ordem da vida...
 
Enviar um comentário

<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?