2005-12-18

 

A VERDADEIRA ESSÊNCIA

O estimável senhor Ribeiro e Castro, discursando no congresso da juventude popular, decidiu apresentar a sua extraordinária opinião sobre as coisas do mundo.
Convicto, seguro, sem dúvidas, o senhor Castro garantiu ser a esquerda responsável “pelos grandes males do mundo”.
Nesta afirmação o que choca não é tanto a ignorância, não é tanto o grotesco branqueamento do fascismo ou do nosso Salazarismo, o que verdadeiramente choca é o ódio arraigado, latente, rancoroso, que a direita portuguesa alimenta.
Num partido notória e profundamente dividido, o líder viu-se obrigado a recorrer a esta torpe e vil declaração para encontrar união nos espíritos do PP. Aparentemente, o ódio à "esquerda" (presume-se que a toda a esquerda, a todos os homens e mulheres de esquerda) é o único elemento comum nos Populares (e talvez a sua razão de ser).
É nestes momentos que se revela a verdadeira essência de um partido.

Comentários:
A verdade é que já há algum tempo deixei de levar as palavras desses senhores a sério. Agora oiço-os, vejo-os orgulhosos das suas próprias palavras como se fossem detentores da verdade e não lhes dou crédito algum.
Faço votos de que tenha um feliz natal junto dos seus.
Um abraço.
 
Foi este estimável senhor que disse no congresso do seu partido em que foi aclamado, que para eles não existiu fascismo mas sim estado novo. É apenas uma questão de denominação. Quanto à esquerda já a coisa pia mais fino. O sr. Castro até é capaz de ainda estar naquela das criancinhas servidas ao pequeno-almoço.
 
Felizmente que a Direita não se resume ao sr. Ribeiro e Castro.

De qualquer modo, nesta afirmação não encontro, sinceramente, nenhuma tentativa de branqueamento do fascismo ou do nosso Salazarismo.
Parece-me antes que, como diz, o sr. Ribeiro e Castro, perante um partido profundamente dividido, tirou do bolso essa tese para tentar encontrar algum consenso nos espíritos do PP.

Porque um dado é certo: à esquerda, em nome da esquerda, cometeram-se e branquearam-se inúmeras atrocidades. E, do meu ponto de vista, dizer isto não é revelador de ódio. Nem serve de branqueamento de outras atrocidades, à Direita.

Desculpe-me, mas este post parece revelar algum ódio do autor à Direita. Ou pleo menos, ao sr. Ribeiro e Castro.
 
Caro RPS,

Em nome da esquerda cometeram-se, de facto, enormes atrocidades. Reconhecê-lo não implica esquecer o contributo igualmente significativo da direita para as infâmias e catástrofes humanas que o mundo conheceu.
É justamente por conhecer esta lista de horrores que não aceito que alguém seja capaz de esticar o dedo o apontar (e repito a frase do sr. Castro): "a esquerda é a grande responsável pelos males do mundo". Ora, é fácil perceber o branqueamento. Por certo não ignora o nefando contributo do fascismo para ignominia, apontando a esquerda como única responsável para os "males do mundo", evidentemente promove um inaceitável branqueamento.
Por último, tenho a graça de não possuir ódios, muito menos ao estimável senhor Ribeiro e Castro (que não conheço) ou dirigidos a entidades abstractas como a direita.
 
Será que Ribeiro e Castro, ao dizer que «a esquerda é a grande responsável pelos males do mundo», nos pretende dizer que se a esquerda estivesse quieta, não organizasse sindicatos, não estivesse ao lado dos trabalhadores nas suas lutas, o mundo estaria melhor?
Sabemos perfeitamente que à direita não agrada que os partidos de esquerda apoiem os sindicatos e os trabalhadores nas suas justas reivindicações e que pretendem que qualquer tipo de organização dos trabalhadores cesse para poderem explorar ainda mais.
Se a culpa é da esquerda, como compreender então que estando o mundo a ser governado pela direita ele esteja como está?
Muito obrigado pelo seu post, que subscrevo.
Um abraço e os votos de um Bom Natal para si e para os seus.
 
http://dn.sapo.pt/2005/12/22/nacional/lider_cds_chama_assassino_a_guevara.html

(...)Coisas do senhor Ribeiro e Castro.
 
link

(não tinha colocado correctamente o link)
 
De facto, este último "link" para a noticia do DN indicia ter o senhor Castro persistido no caminho demencial. É um caso perdido!
 
Enviar um comentário

<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?